0
Imagem mostra casal fazendo mediação para chegar ao divórcio amigável

Divórcio amigável: como a mediação ajuda a facilitar a separação

É fato que o fim de um casamento é um momento crítico e complicado na vida dos envolvidos. Afinal, foram anos investindo em uma relação que, infelizmente, chega ao fim. No entanto, o melhor nesse caso é tentar ao máximo um divórcio amigável.

Além das razões emocionais para isso, como manter uma amizade, sofrer menos e passar por um processo pós-divórcio menos doloroso e traumático, existem razões econômicas para isso também.

Por via de regra, um divórcio amigável é mais barato e rápido do que uma disputa litigiosa entre o casal. No entanto, é preciso que ambos estejam com o mesmo objetivo para que isso aconteça.

É aí que entra em campo a mediação no divórcio, de modo a facilitar o processo para o casal. Quer saber como ela ajuda a deixar o divórcio amigável? Então, siga a leitura do artigo.

Por que o divórcio amigável é mais vantajoso para o casal?

De acordo com as leis brasileiras, existem dois remédios jurídicos para um casal que queira pôr fim ao casamento: o divórcio judicial e o extrajudicial.

O primeiro é aquele que vemos mais comumente em filmes, séries e novelas. Trata-se de uma longa disputa litigiosa em frente a um juiz, com advogados de ambas as partes disputando cada elemento da vida do casal.

Se você assistiu ao filme História de um Casamento, indicado ao Oscar de 2020, viu um exemplo do que um divórcio litigioso costuma causar no casal que opta por essa solução.

Já o segundo remédio é o divórcio extrajudicial, que é um processo muito mais simples e menos custoso para todos os envolvidos.

Nesse caso, o divórcio amigável é feito em um cartório e na presença de um tabelião de notas. Praticamente não há discussões a serem feitas e tudo é resolvido em pouquíssimos dias, com custo financeiro muito baixo.

Na prática, é a melhor opção tanto no aspecto emocional quanto na questão financeira.

No entanto, para que o divórcio extrajudicial seja realizado, é importante que o casal esteja em comum acordo sobre os termos da separação. E é aí que nasce o problema que a mediação tenta resolver.

O que é a mediação no divórcio?

Não restam dúvidas de que o divórcio é um processo complicado do ponto de vista emocional. Normalmente, o casal investiu anos em um relacionamento e muitos enxergam a separação como um “fracasso” nessa relação, embora necessariamente isso não seja verdade. Afinal, relações começam e terminam em um ciclo natural.

Por causa do sofrimento emocional no fim da relação (que, para muitos, é como um processo de luto), é comum que haja algum tipo de conflito nessa situação.

Um dos membros do casal, por exemplo, pode entrar em um ciclo de sofrimento que não permite que a outra parte concorde com os termos do divórcio. Na prática, a situação levaria a uma disputa litigiosa, que causaria mais danos ainda.

Em outros casos, pode haver divergência sobre como os bens do casal serão partilhados no fim do casamento, o que também pode criar disputas graves demais que só serão resolvidas no tribunal.

O que uma mediação no divórcio faz é tentar colocar o casal na mesma direção em relação ao fim do casamento. Dessa forma, ambos podem resolver as desavenças para evitar uma disputa no tribunal.

Como a mediação no divórcio funciona na prática?

Quando um dos membros do casal não concorda com o fim do casamento, é impossível realizar o divórcio amigável. No entanto, é possível mudar a situação para que haja concordância.

Para isso, é importante aplicar a mediação no divórcio nessa situação, de modo a tentar alcançar um acordo que permita a realização do divórcio amigável.

No entanto, como a mediação familiar funciona na prática? É uma espécie de terapia? Vejamos a seguir.

A mediação não é uma forma de terapia, mas ajuda a resolver os conflitos entre duas pessoas ou, pelo menos, minimizar os conflitos que impeçam que elas possam trabalhar em conjunto em busca de um objetivo (no caso, o divórcio amigável).

A mediação é conduzida por um mediador, que normalmente é o advogado contratado pelo casal para poder realizar o divórcio amigável.

O que o mediador faz é criar um ambiente seguro e saudável para ouvir quais são os impeditivos para que o casal possa realizar o divórcio amigável.

Ele ouvirá as queixas de cada lado e identificará quais delas são por danos emocionais (a dor do fim do relacionamento, por exemplo) e quais são obstáculos palpáveis para  realização do divórcio amigável.

Apesar de não tratar de dores emocionais, o mediador tentará mostrar ao casal que aquela questão pode levar a um caminho ainda mais doloroso. Com uma boa conversa e uma negociação pacífica, é possível chegar a um acordo e realizar o divórcio extrajudicial.

Aplicando a mediação no seu processo de separação, será possível realizar um divórcio amigável e poupar os membros do casal de dores emocionais e financeiras.

Você gostou da nossa dica? Então curta nosso perfil no Facebook para acompanhar mais conteúdos de qualidade!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp chat